.ღ Saudade lembrada, saudade sentida, saudade hoje e para o resto da vida...saudade eterna! ღ

.ღ Saudade lembrada, saudade sentida, saudade hoje e para o resto da vida...saudade eterna! ღ

.

.

ღ NO MOMENTO AS HOMENAGENS ESTÂO SUSPENSAS! Abraços fraternos!

ღ NO MOMENTO AS HOMENAGENS ESTÂO SUSPENSAS!  Abraços fraternos!
As homenagens são publicadas conforme a disponibilidade de tempo. Se ela chegar sem foto e mensagem não poderei publicar. As homenagens são publicadas conforme a ordem de chegada no e-mail.

.

.

ღ NO MOMENTO AS HOMENAGENS ESTÂO SUSPENSAS! ABRAÇOS FRATERNOS!

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Amigos...


Amigos

Amigos pra sempre
nós sempre iremos ser.
Juntos eu e você
Pra sempre amigos...

Haja o que houver
Passe o que passar,
pois eu jamais irei
deixar de te amar.

Minha razão e alma
minha guia e luz.
paciente e calma
sempre me conduz.

Todo o dia me abraça
Todo o dia me escuta.
E se estou chorando,
comigo também soluça.

Meu sol brilha mais
depois que te conheci.
Minha vida teve sentido
assim que eu te vi.

Sempre serei grato
Por existir em minha vida.
Eu te amo muito
meu amigo querido.

Jonathan F. Fogo

sábado, 27 de novembro de 2010

✧✧✧ Advento do Natal ✧✧✧



Advento do Natal

Começa com as vésperas do domingo mais próximo ao 30 de novembro e termina antes das vésperas do Natal. Os domingos deste tempo se chamam 1º, 2º, 3º, e 4º do Advento. Os dias 16 a 24 de dezembro (Novena de Natal) tendem a preparar mais especificamente as festas do Natal.

Advento

Maria esperou tanto o nascimento do seu filho, o filho de Deus, o Salvador.

Deus esperou tanto pelo encontro pleno com a humanidade, sua criação,
através de Jesus, seu filho enviado.
Advento é tempo de espera e de preparo .

Advento é o tempo de quatro semanas que antecede o natal.

Tempo no qual nós nos preparamos espiritualmente para rememorar e
celebrar a vinda do menino Jesus,
a vinda de Deus criança, de Deus humilde, Deus humano

É o tempo reservado em nossa vida para parar e refletir,
meditar,
cantar e recontar a história do nascimento do menino Jesus.

É um tempo especial para pensar sobre o sentido da nossa vida,
da nossa fé,
da nossa esperança.

Neste tempo esperamos renovação na nossa vida pessoal, familiar,
social, econômica... porque acreditamos no poder e na promessa de
Deus quando enviou seu filho ao mundo.

Deus se humanizou, se tornou criança pequena,
humilde,
para aproximar-se de maneira mais sublime de suas criaturas;
se tornou criança para encontrar acolhida em meio ao seu povo.

É um tempo em que muitas luzes são acesas nas casas e nas ruas das cidades,
revelando o grande desejo humano de luz sobre toda a vida,
e acendendo a sensibilidade humana e o desejo de que esta luz se transforme em vida abundante,
desejo de que esta luz se torne concreta na vida cotidiana.

O tempo de advento, o tempo de natal, é um tempo em que as pessoas se sensibilizam, se alegram, se tornam abertas à comunhão, ao amor, ao perdão.
É também um tempo em que as pessoas se entristecem, pois pensam em seus sonhos, em sua realidade, em sua vida, em sua falta de esperança e se apercebem de sua solidão, de sua pobreza...
Ao mesmo tempo, é um tempo em que Deus nos convida a buscar um lugar, a lutar por acolhida, como Maria e José que bateram de porta em porta.

É, também, um tempo de oferecer hospitalidade.
Hospitalidade para acolher outras pessoas em nossa comunidade, em nossa casa;
e hospitalidade para acolher em nossa vida novos valores, novos pensamentos, novos referenciais;
é tempo de acolher Deus, tempo de acolher a paz, tempo de anular a violência em nós e em nossa casa, tempo de anular o medo e o rancor.

É um tempo em que muitas luzes são acesas nas casas e nas ruas das cidades,
revelando o grande desejo humano de luz sobre toda a vida,
e acendendo a sensibilidade humana e o desejo de que esta luz se transforme em vida abundante,
desejo de que esta luz se torne concreta na vida cotidiana.

O tempo de advento, o tempo de natal, é um tempo em que as pessoas se sensibilizam, se alegram, se tornam abertas à comunhão, ao amor, ao perdão.
É também um tempo em que as pessoas se entristecem, pois pensam em seus sonhos, em sua realidade, em sua vida, em sua falta de esperança e se apercebem de sua solidão, de sua pobreza..


ORAÇÃO DO ADVENTO

Senhor, eu te espero novamente.
Povoa de esperança o espaço que restou dentro de mim.
Enxuga a lágrima que ainda molha a minha face.
Ajuda-me a repartir os sorrisos que vingaram
neste espaço de barro que sou eu, e onde um dia semeaste a fé.
Repete este milagre de, embora divino,
caberes por inteiro no meu coração humano.
Volta para mim, desta maneira simples de chegar
E permanece comigo, ajudando-me a crer
que ainda é tempo de sonhar com a paz.
Senta-se à minha mesa e prova o pão do meu suor.
Caminha do meu lado para entenderes o meu cansaço.
Escuta meus anseios, para compreenderes minha luta.
Volta para mim, desta maneira simples de chegar.
Volta silencioso como a aurora e plenifica de luz o meu amanhecer.
Volta silencioso como a flor e perfuma de amor o meu desejo.
Volta para mim, desta maneira simples de chegar.
De minha parte, estarei te esperando
como terra seca, que procura orvalho;
como noite escura que procura luz;
como fonte imóvel que procura impulso.
Volta para mim, desta maneira simples de chegar.
E que te possa descobrir
em todos os presépios e casas,
em todas as manjedouras e berços,
em todas as Marias e Josés.

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

CARTAS DE CÃES ACORRENTADOS




” Querido dono,

Consegui que escrevessem esta carta
por mim. Nem sabes a alegria que sinto por poder comunicar contigo. Todos os
dias, desde aquele dia longínquo em que me colocaste a corrente no pescoço e me
prendeste neste espaço, eu sonho que me vens visitar e fazer festinhas como me
fazias quando eu era um bébé. Eu sonho que vens conversar comigo, não entendo
muito bem o que me dizes, mas nem imaginas como adoro ouvir o som da tua
voz!

Eu sei que fiz algo de errado, senão certamente não me terias
colocado aqui. Desculpa! Não quero ser exigente mas começa a doer ter esta
corrente atada ao meu pescoço. Ás vezes tenho o pescoço dormente, e outras vezes
tenho muita comichão e nem consigo coçar! Sinto o seu peso todos os dias, o peso
da solidão que me prende.
Tenho vontade de esticar as pernas e correr e como
eu gostava de poder fazer isso contigo. Adorava que me atirasses umas bolas, aí
eu podia mostrar-te como sou rápido a correr e como tas trazia rapidamente.
Gostava de poder ver o que tu vês, o mundo lá fora é muito grande? E existem
outros como eu?
Ás vezes tenho sede e alguma fome mas eu aguento em silêncio
porque sei que assim que podes vens cá dar-me comida e água, sei que fazes o que
podes, eu não quero incomodar, mas sabes, por vezes gostava de ter um pouco da
tua companhia.
Sei que talvez alguém te tenha dito que eu não tenho
sentimentos, mas olha que é mentira! Nem imaginas quanta alegria sinto quando
alguém me toca ou se dirige a mim. Nem sabes quanta tristeza e solidão pesa em
mim nas longas horas que não vejo ninguém. Nem sabes o medo que por vezes sinto
no Inverno aqui sozinho, e tenho tanta vontade de estar perto de ti.

Eu sou o teu amigo mais fiel, nunca te irei trair, não guardo rancor, e
não tiro nunca o lugar de ninguém, será que tens mais amigos assim no teu mundo?
Só queria um pouco mais da tua atenção e amor, uma cama quente no inverno, um
local fresco no verão e o teu cheiro a entrar-me nas narinas todos os dias,
seguido de um sorriso e uma festa no meu velho lombo.
Eu sei que um dia tu
irás chegar aqui e tirar a corrente, e dar-me tudo isto, até lá eu fico quieto á
espera. Só não demores muito meu dono, porque estou a ficar velho e começo a ver
e ouvir mal. Faltam-me forças e não quero ir, sem viver um pouco contigo.
do
teu cão”

Se virem um cão aprisionado,
imprimam esta carta e coloquem na caixa do correio dos donos. Em nome de todos
os “cães”, obrigada.

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Acredite!

Acredite!



Olhe o dia amanhecendo e você vai sentir que,
em quase tudo, há anjos tecendo o alvorecer.


Uns são raios de sol que vêm descendo, para iluminar
o que de bom a gente sonha fazer.


Outros são canções suaves que quando em silêncio,
a gente ouve em toda fonte que jorra,
em cada onda que bate, em cada sopro de vento,
em cada silvo selvagem, em cada bicho que corre,
em cada flor ao nascer.


Eles são fontes de energia e proteção,
presentes em seus planos, desejos, vontades,
em tudo o que o amanhecer inspira.


Só que é preciso fechar os olhos para ver, e ouvir o
coração dizendo que a gente é como gota d'água,
nesse mar imenso do universo,com o poder infinito de
transformar o que é invisível em cores
do arco-íris.


Acredite!
Cada manhã dá luz a um novo dia,
mas é você quem faz nascer a alegria...


A Paz de Jesus esteje com cada um de voces!
Deus te abençoe!*

Estrelinha Peludinho


✰ 14/11/2010

Peludinho

Peludinho hoje faz 8 dias que você se foi,
mas tenho certeza agora depois de conhecer o site ,
Capelinha de São Francisco,
puder compreender que sua vida se já era boa, agora tá ainda melhor.
Saiba minha vida, que nunca esquecerei de ti
e que ainda choro quando lembro,
pois você faz muita falta na minha vida.
Como queria te apertar agora e te encher de beijos ,como sempre fazia.
A fruteira tá cheia de batata, do jeito que você gosta ,
minha vida!
Eu sempre te amarei e tenho certeza que você será
muito mais feliz agora no Portal do Arco-Iris!

Obrigada Rejane pelo apoio, pelo consolo.
Foi Deus que me colocou para pesquisar e acabar entrando
no seu site que até então não conhecia.
Que o menino jesus te ilumine!
Danielle

sábado, 20 de novembro de 2010

Aprendendo ...


Aprendendo...
" Uma pessoa pode aprender muito com um cão. Eles tem a capacidade de nos ensinar a viver cada dia com alegria e exuberância desenfreadas, aproveitando cada momento e seguindo o que o coração diz. Ele nos ensinam a apreciar coisas simples - um passeio pelo parque, o cheiro da grama recém cortada, uma soneca sob o sol de inverno. E enquanto envelhecem e adoecem, ensinam-nos a manter o timismo diante da adversidade.
Principalmente, eles nos ensinam sobre a amizade e o altruísmo e, acima de tudo, sobre lealdade incondicional.
Eles nos ensinam o que realmente importa na vida. Lealdade. Coragem. Devoção. Simplicidade. Alegria. E também coisas que não tem importância. Um cão não precisa de carros modernos, palacetes ou roupas de grife. Símbolos de status não significam nada para eles. Um pedaço de madeira encontrado no chão serve. Um cão não julga os outros por sua cor, credo ou classe, mas por quem são por dentro. Um cão não se importa se você é rico ou pobre, educado ou analfabeto, inteligente ou burro. Se você lhe der seu coração, ele lhe dará o dele. É realmente muito simples, mas, mesmo assim, nós humanos tão mais sábios e sofisticados, sempre tivemos problemas para descobrir o que realmente importa ou não. Às vezes não descobrimos ou descobrimos tardiamente, que tudo está bem à nossa frente, se apenas pudessemos ver. Mas muitas vezes é preciso que um cachorro com "mau hálito", "péssimos modos", mas incondicionalmente nosso leal amigo nos ajude a enxergar!"

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Estrelinha Jóia



✰ 2010

Jóia

Acrisolastes o ouro incandescente
Fiaste arabescos de pura união
Um diamante mui raro e iridescente
Cravaste no meio do meu coração

Minhas tristes lágrimas, tu, clemente,
Guardaste no odre do teu coração
Fluindo-as em pérolas de rima ardente
Criaste o colar que sela nossa união

Trouxe contigo o tesouro da tu' alma
Dês-me então o brilho do espelho da tua calma
Para iluminar veredas d’ ardor

Fecundes meu rubi com fios eternos de prata
Receba o meu olhar âmbar a florata
Sejas o ourives da saudade deste infante amor

Que a alegria e excitação reinem quando rabos agitados sentirem nossos carinhos mais uma vez. Que eles tenham certeza da gratidão que temos em nossos corações por sua lealdade e amor incondicional, pelos quais serão eternamente lembrados. Estamos separados por pouco tempo. O cordão de prata que nos liga através do tempo e do espaço jamais poderá ser quebrado.

Meu São Chiquinho, Que estejam em TEUS braços nosso Anjinho chamado por TI "Saudades...

Nossa homenagem a Jóia
Amadinha dos amigos Benno e Doris


quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Estrelinha Ringo




✰ 17/11/2010

Ringo

Há meses apenas,meu caõzinho Hulk partiu com uma insuficiência renal ,
que não teve cura.
E hoje, dezessete de novembro, meu outro filhinho,
Ringo se foi, levado pelos espiritos que cuidam dos animais
que deixam o corpinho doente!
Meu coração dói demais.
Dois se vão no mesmo ano!
Sei que não sofrem mais.
Pelo contrário!
São felizes e se lembram de nós e nos olham com amor!
Meu Ringo tinha 12 anos. Era cor dourado !
Lindo brincalhão!
Gostava de um colo, de pão e de ficar na rede balançando igual a gente!
Latia nos chamando para dar-lhe alguma coisa quando queria.
Morava numa casinha parecendo com as da gente, bem cuidada,
com sua agua, seu pratinho com a ração.
Também na casinha mora seu companheiro Rambo,
outro coocker, porém pretinho de pelo brilhante lindo e muito alegre.
Late como se falasse.
Porem há 7 dias, ele apenas chora, a ausência do amigo que se internou na clínica para voltar, mas não mais regressou.
Ele se foi, por causa de vômitos e infecção no ouvido,
muito tratada mas não pode curar.
Hoje ás 3 e 30 ele partiu, longe de nós que o amávamos demais!
E por isso também minha alma está desolada!
Queria ter estado lá para ele me ver pela ultima vez e sentir que eu nunca o abandonei!
Mas Jesus sabe que todos nós o amamos durante doze anos.
E peço á São Francisco ampara-lo e leva-lo á Ponte do Arco Iris
e um dia talvez ele retorne para nós.
Ringo meu Anjo ,
mamãe o ama muito,
perdoe porque não estava presente quando
Deus o levou e aliviou seu sofrimento!

Reinilde


Homenagem a Ringo nosso querinho que seu foi ontem


NOSSO QUERIDO AMIGUINHO RINGO NOS DEIXOU
ONTEM, APÓS 12 ANOS DE MUITAS ALEGRIAS,

OBRIGADO RINGO SIMÕES DE ANDRADE


AMAMOS VOCÊ !

MAMÃE LILIAN, REINILDE, TITIOS ALEX FABIANO, RAFAEL,

TITIAS REINICE E TEREZINHA,

ENCONTRE COM HULK NA PONTE DO ARCO-ÍRIS.


Os animais vão para o céu?


Os animais vão para o céu?

Esta pode ser uma questão para a qual nunca se venha a obter uma resposta. Mas alguns escritores, poetas e homens de religião expressaram a sua opinião sobre a alma dos animais e se estes entram ou não no céu.


Pensas que os cães não vão para o céu? Eu digo-te, eles vão lá estar muito antes de algum de nós .
Robert Louis Stevenson


O cão é um gentleman; Espero ir para o céu dele, e não para o do Homem.
Mark Twain, carta para W.D. Howells, 2 Abril 1899

O destino dos homens é o mesmo que o dos animais. Como morre um, assim morre o outro; e todos eles têm apenas um só espírito, de modo que não há nenhuma superioridade do homem sobre o animal. Tudo o resto é insignificante. Todos têm o mesmo destino; todos vêm do pó e em pó se irão tornar.
Eclesiastes 3:19-20


Se o céu existe, é certo que os nossos animais são para lá estar. As vidas deles tornam-se tão interligadas às nossas, que iria ser preciso mais do que um arcanjo para as desembaraçar.
Pam Brown


Se não há cães no céu,
Quando eu morrer, quero ir
Para onde eles foram.
Will Rogers, 1897-1935


Se tenho alguma crença sobre a imortalidade, é a de que os cães que eu conheço vão para o céu e muito poucas pessoas irão.
James Thurber


O céu rege-se por favores, se fosse por mérito, tu ficarias de fora e o teu cão entrava.
Mark Twain


O Senhor é bom para todos, e as suas misericórdias estão sobre todas as suas criaturas.
Salmo 145:9


Queres um amor perfeito? Procura no céu. A coisa mais próxima que encontras na Terra é o cão.
Lionel Fisher, Celebrating Time Alone: Stories of Splendid Solitude


Quem é que acredita que não há uma alma por detrás
daqueles olhos luminosos.
Theophile Gautier


Se ter uma alma significa ser capaz de sentir amor e lealdade e gratidão, então os animais estão em melhor posição do que os humanos.
James Herriot


Um cão tem a alma de um filósofo.
Platão


A certa altura a Igreja Católica debateu muito seriamente a questão sobre se os animais têm ou não uma alma: iriam os bons cães para o paraíso e os maus, que roubaram umas fatias de fiambre, arderiam no inferno para toda a eternidade. A negação da alma foi votada: mas é suficiente para honrar a espécie em causa que a questão tenha sido colocada.
Alfred Barbou


A alma é a mesma em todas as criaturas, embora o corpo de cada seja diferente. Hipócrates

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Estrelinha Cherry




✰ 14/11/2010

Cherry


Meu Bebê vc partiu, virou uma estrelinha.
Como dói a sua ausência, dentro de casa há um um grande vazio,
caminhando escuto seus passos sempre andando atrás de mim,
olho ao meu redor e não a vejo vc
escuto vc tomando água ,
escuto vc roncando olho o seu cantinho e está vazio.
No meu coração uma dor imensa.
Lembro do seu olhar e do seu ultimo suspiro, vc vai está sempre viva no
meu coração a final foram 14 anos de muito amor e carinho
de ambas as partes.

Neste 14 anos juntas aprendi muito com vc.
VOCÊ ME ENSINUO A ACREDITAR.
VOCÊ ME ENSINOU A TER CORAGEM.
VOCE ME ENSINOU A TER PACIENCIA.

E no seu ultimo suspiro quando me olhou pela ultima vez, quando os meus olhos queimavam em lágrimas, você me ensinou uma ultima lição.
VOCÊ ME ENSINOU A AMAR.

Hoje eu queria te pegar no colo fazer um carinho te abraçar e beijar.
Deixo aqui o meu "ADEUS" MINHA AMIGA" MINHA COMPANHEIRA"
Vou te amar para sempre.

Zulene



sábado, 13 de novembro de 2010

Carregando a culpa


Você se sente responsável pela morte de seu animal de estimação?

Nós amamos nossos animais de estimação.
Nós queremos o melhor para eles.
Nós queremos protegê-los contra todo mal.
Mas a vida é complicada.
É fisicamente impossível proteger alguém contra tudo.
É tão difícil prever quando algo está para acontecer.
Nós não somos infalíveis.
Nós não somos Deus.
Nós não podemos fazer o impossível.

Vivemos em um mundo imperfeito.
E nós precisamos ser gentis com nós mesmos nele.
As coisas vão acontecer. Isso é tudo.
Isso não significa que somos ruins.
Isso não significa que se fôssemos "melhores", os acidentes não aconteceriam.


O que não podemos fazer é não nos julgar, e nem ditar o que somos.
Não podemos dar significado sobre nós mesmos.
Algo aconteceu.
Uma triste perda.
E nós temos que lamentar isso.
Mas não podemos transformá-la em culpa .
O que podemos fazer, quando algo ruim acontece, é parar!
Isso não nos levará a lugar nenhum, vamos nos sentir piores.
E se pararmos para pensar nisso, é apenas algo que nossa mente criou.
Perdoe-se por ser humano.
Aceite que você não é todo-poderoso.

Aceite o tempo que estiveram juntos, é uma dádiva.
Finja que aconteceu com seu melhor amigo.
Pense no que você estaria dizendo a ele.
Você não estaria culpando-o.
Você estaria dando-lhe um lugar macio em seu coração e dando força para continuar.
Dê este aconchego a si mesmo.
Permita-se sentir a sua perda, sem julgamento.
Ame-se como seu animal de estimação o amou.
Esse é o melhor presente que você pode dar ao seu animal e a você mesmo!
Fique Bem!
Capelinha Memorial Pets

sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Gatos não morrem!




"Gatos não morrem de verdade,

eles apenas se reintegram no ronronar da eternidade.
Gatos jamais morrem de fato,
suas almas saem de fininho atrás de alguma alma de rato.
Gatos não morrem,
sua fictícia morte não passa de uma forma mais refinada de preguiça.
Gatos não morrem,
rumo a um nível mais alto é que eles, galho a galho, sobem numa árvore invisível. Gatos não morrem,
mais preciso - se somem - é dizer que foram rasgar sofás no paraíso.
E dormirão lá, depois do ônus de sete bem vividas vidas,
seus sete merecidos sonos."

(Nelson Ascher)

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Estrelinha Xu



✰ 08/11/2010

XU

Minha familia e eu, perdemos a nossa linda Xu no dia
08/11/2010 e estamos sofrendo muito por sua falta.
... a nossa estrelinha nunca morrerá,
e um dia vamos nos reencontrar

Amaremos você Xu para sempre ..
sei que estas perto de nós ..

Paulinha, Polly, Janice e Wilson ..
sua familia que te ama tanto e sente sua falta.




terça-feira, 9 de novembro de 2010

Imagem poema







"A Saudade é a memória do coração!"

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

O MEU CACHORRO ATRAVESSOU O ARCO-ÍRIS

(vale a pena reler!)



O MEU CACHORRO ATRAVESSOU O ARCO-ÍRIS
Era uma linda tarde de domingo!

Eu brincava de jogar disco para o meu cachorrinho Baiuki, ir pegá-lo, como fazíamos todo final de dia. Ele era muito querido pelos meus colegas que, de vez em quando, escondiam o disco para o desespero do bichinho.

Na minha rua existiam outros cachorros e alguns muito mal tratados pelos seus donos que os castigavam sempre que cometiam alguma travessura, coisas normais de cachorro, mas imperdoáveis aos olhos dos seus donos. Certa vez, um pastor alemão cavou o jardim de sua casa a procura de um osso que havia escondido e quando o seu dono chegou deu-lhe a maior surra.

Isto me entristecia, pois eu seria incapaz de bater no meu cachorro e, tirando um pitbull da casa amarela de minha rua, eu gostava de todos os demais. Este pitbull era muito bravo e treinado para ser assim pelo seu dono que ficava o dia todo fora e no final da tarde, principalmente aos sábados, fazia o cachorro pular e grudar com a boca num pneu amarrado a quase dois metros do chão. Ele ficava pendurado jogando a cabeça de um lado para outro querendo trucidar o pneu e se um gato, coitado, pulasse para o quintal deste vizinho, era morte na certa. Quando o dono passeava com ele em nossa rua, todos os demais vizinhos trancavam os seus cães em casa, pois este pitbull os mataria sem nenhuma pena. Nesse mesmo dia, quase ao anoitecer, por um descuido meu, o Baiuki sumiu e coloquei toda a rua a procura dele. Eu chorava desesperadamente imaginando onde ele poderia ter ido e como estaria sendo tratado por quem o tivesse encontrado, quando um amigo me perguntou:
-E se ele entrou na casa do pit bull?

- Meu Deus, isso não!

Corremos para lá, mas não vimos nem sinal do meu Baiuki.

Passaram-se dias e nunca mais tive notícias dele.

Meus pais quiseram me dar um novo cachorro, da mesma raça e cor, mas nenhum outro cachorro substituiria o meu Baiuki e tinha esperança de um dia ele voltar para mim, mas ao passar do tempo ia ficando mais difícil acreditar nisso.

Pedia a Deus todas as noites para que ele voltasse e a saudade me fez perder o apetite e por não comer fiquei muito debilitado, pegando uma virose muito forte que depois se transformou numa pneumonia e me deixou ardente em febre, para o desespero de meus pais que já estavam combinando com o médico a minha internação no hospital para o dia seguinte,

. Quando eu estava muito mal, ouvi um barulho debaixo de minha cama, como se o Baiuki estivesse cavando, o que ele fazia sempre quando queria deitar-se no chão, simulava que estava cavando até sentir que seu “ninho” estivesse apropriado e se enrolava todo, colocando o seu rabo por cima de sua cabeça, como se estivesse cobrindo os seus olhos. Pulei da cama feliz da vida e olhei debaixo e nada, mas o barulho continuava e parecia que vinha do outro lado da parede. Entrei para debaixo da cama e coloquei meu ouvido na parede, chamando pelo seu nome e, de repente, percebi um pequeno furo por onde consegui ver o meu cãozinho. Chamei por ele, mas ele não me atendia e, não sei explicar como, senti que eu podia passar pelo pequeno furo e alcançá-lo, o que aconteceu sem maior esforço. Quando estava do outro lado, ouvi o latido de muitos outros cachorros, só que agora eu entendia tudo o que eles falavam e quando fui chamar pelo Baiuki saiu de minha boca apenas latidos, nada de palavras.

Ele correu em minha direção e outros cães também vieram e fizeram uma roda à minha volta e, vendo que eu falava a língua deles, com seus rabinhos balançando começaram a me perguntar um monte de coisas.

-O que quer dizer “senta”, perguntou-me uma poodle com lacinho vermelho no pescoço.

- Significa isso, olha, e me sentei

- Nossa! Tão simples e eu nunca acertei!

- O que significa calar a boca, perguntou-me um vira-lata já velho que havia morado há muito tempo em minha rua.

- É para ficar calado, respondi latindo.

- Mas por que nos manda ficar quieto se estamos só fazendo nosso trabalho?

- É que às vezes vocês exageram.

- Acho que vocês não ouvem muito bem e pensam que estamos latindo, só por latir.

- Acredito que seja isso mesmo. A audição de vocês, assim como o olfato é muito melhor do que o nosso.

- O que significa “coisinha linda”?

Perguntou-me uma cachorrinha, com os pelos bem cuidados que parecida mais um cachorrinho de pelúcia. Era do tipo que as mulheres levam no colo para onde quer que vão.

- É uma forma carinhosa de expressar amor. Respondi.

- Eu era mesmo muito amada e sinto saudades da minha dona!

- Deveria ser mesmo, pois você tem os pelos muito bem cuidados. Completei.

- E o que significa “pega e mata”?

Perguntou-me um pit bull, parecido com aquele que eu tinha tanto medo.

Eu tremi e respondi que isto era muito feio e que cachorro não foi feito para matar, mas para nos alegrar e nos proteger, mas nunca para matar alguém.

Ele assustado, disse-nos que jamais quisera fazer mal, mas seu dono o ensinava apenas a atacar e batia muito nele quando ele não obedecia tornando-o muito feroz só para agradá-lo, mas no fundo o que ele desejava era ter tido muitos amigos para brincar, pois a única brincadeira que ele tinha era com o seu velho pneu e se ele deixasse vivo qualquer animal que entrasse em seu quintal o seu dono o trocaria por outro e ninguém iria adotá-lo. Parecia que ele estava falando do cachorro da casa amarela, mas não era ele.

-Como eu sobreviveria sem dono?

Perguntou-nos.

Fiquei por um momento olhando nos olhos dele e vi que ele não passava de um pobre cão que nunca ouviu nada de carinhoso, apenas gritos e mais gritos e fiz um carinho na sua cabeça e ele levantou a pequena orelha que fora cortada assim como o rabo, demonstrando que gostava desse tipo de carinho.

Abracei o meu Baiuki e perguntei-lhe o que havia acontecido e por que ele tinha fugido se eu nunca o tinha maltratado.

- Eu não fugi, apenas fui chamado para a nova missão.

- Que missão?

- Nós, cachorros, temos uma missão muito importante na terra que é ver quais os homens bons e quais os homens ruins. Nós vemos tudo o que eles fazem e mesmo não entendendo o que eles dizem guardamos em nosso coração tudo o que vemos e nossa próxima missão é falar de cada um deles para um anjo que anota tudo para o julgamento final.

- Que anjo?

- Anjos que vêm para nos ouvir e que levam as nossas mensagens para o céu.

- Vocês têm um Deus também?

Perguntei-lhe assustado.

- É o mesmo Deus de vocês e Ele também nos ama como a todos os seres vivos da terra, não apenas os humanos. Se somos vivos é porque Deus nos deu vida, assim como a vocês!

- Mas vocês falam com Deus?

- Sim, como você em suas orações.

- Significa que Deus vai ouvir vocês em nosso julgamento?

- Ele não precisa nos ouvir, pois Ele vê o coração de cada um de vocês, mas vocês também são julgados pela forma que nos tratam e isto Deus nos pede para relatarmos para que vocês, humanos, no julgamento final, possam ouvir as maldades praticadas contra outros filhos de Deus, que também sentem dor, fome, sede, tristeza, saudades, amor, enfim tudo o que vocês sentem.

-Mas como pode ser?

Anjos cachorros?

- Não! Apenas anjos.

Na verdade, Deus nos criou para que nos aproximássemos dos homens e fossemos exemplos de fidelidade, já que o homem nunca soube o verdadeiro significado desta palavra e desde então, temos essa missão de sermos amigos para todos os momentos e nunca, mas nunca mesmo, trair nossos donos. Se somos assim, tão fiéis e os homens nos tratam tão mal, nada mais justo de sermos as “testemunhas” no julgamento final.

- Parece-me tão irreal tudo isto!

- Eu sei.

Respondeu-me o Baiuki, lambendo minhas mãos.

- Mas você iria voltar pra mim?

- Não, na verdade você voltaria pra mim no futuro.

- Como assim?

- Depois que todos cumprirem a sua missão na terra, os bons vão para um lugar onde reencontrará todos os amigos que concluíram a missão antes dele.

- Depois de morrer, você quer dizer?

- Esta palavra não conhecemos, pois sempre há vida, ela nunca deixa de existir.

- Então você já tinha cumprido a sua missão?

- Eu não sabia até que entrei no quintal da casa amarela da nossa rua.

- Então foi o pitbull que te pegou?

- Nem percebi, mas deve ter sido

- Sentiu dor?

- Nenhuma!

Continuamos sentados conversando sobre tudo e eles contavam histórias engraçadas dos seus donos que não entendia nada dos latidos dos cachorros e estes também não entendiam nada do que seus donos queriam.

- O que é mesmo “vai buscar”?

- É quando alguém joga alguma coisa pra você ir pegar e trazer de volta pra ele.

- Ah! Eu nunca acertei isto, pensava que era comida, corria e via que não era bom voltava na esperança de ganhar alguma coisa melhor.

Disse uma cachorrinha cookie spanel, preta de pelos compridos, muito brincalhona e amiga de todos..

- Vocês tiveram sorte, já eu fui passear uma vez com o meu dono com quem eu morava desde muito pequeno e ele jogou um pedaço de pau pra eu ir buscar e quando voltei ele tinha sumido. Fiquei latindo pra ver se ele aparecia e acabei tendo que morar no parque passando muita fome e com muita saudade dele até ser chamado para a nova missão. Doía imaginar que ele também estava me procurando e sofrendo por mim.

Falou um velho pastor alemão.

Pobre cachorro! Pensei, como pode alguém abandonar um amigo só porque ele ficou velho? Como podemos esquecer todas as coisas boas que ele nos deu durante todos os anos que passou conosco? Ele foi tão fiel e acreditando na amizade sincera nunca pensou que tivera sido abandonado. Passei as mãos sobre sua cabeça e ele fechou os olhos como se tivesse pensando nos bons tempos quando ainda era jovem e querido pelo seu ex-dono.

- Uma vez eu fui demarcar o carro do meu dono e ele me deu um grito que tive que segurar quando não dava mais e me fez um mal danado, resmungou, um vira-lata todo malhado para o riso de todos.

- É que nós não gostamos do cheiro da urina de vocês e quando vocês molham o pneu do carro dá um trabalhão para limpar, respondi.

- Mas limpar pra que se estamos demarcando nosso território para que outros ao sentirem o cheiro saibam que aquele carro já tem dono?

-Agora eu sei, mas é difícil pra nós entendermos isto, pois o dono, nesse caso é o homem que comprou o carro e não o cachorro dele.

-Vocês são muito complicados, murmurou um Dálmata, saltitante.

- Você tem razão, nós complicamos muito mesmo, respondi prontamente.

- Você já pensou em ser cachorro?

Perguntou-me um vira-lata com cara de bom garoto.

- Não, nunca me imaginei um cachorro.

- Que pena! Você iria gostar. É muito legal correr atrás dos carros.

- Pode ser, mas até hoje eu não sei por que vocês fazem isto.

- É porque vocês demonstram gostar mais do carro do que de nós e sempre tem mais tempo para eles. Então, uma forma de protestarmos contra isto é correndo atrás e quando ele pára, nós, simplesmente, o demarcamos para mostrar quem é o manda chuva.

Cada vez chegavam mais e mais cachorros para me perguntar o significado de alguma palavra e um Pintcher que estava atrás de todos os outros pulava feito louco gritando:

- Eu quero perguntar, eu quero perguntar!

- Cala a boca aí, ô baixinho, gritou um São Bernardo, só para irritar o pequeno cãozinho.

Eu via somente a cabeça do pincher quando ele pulava e, com dó, disse-lhes:

- Deixe-o passar. Ele quer me perguntar alguma coisa também.

Uma labrador que estava deitada levantou-se para que o pinther pudesse passar por entre as suas pernas e ele chegou todo animado, pulando feito louco e dizendo:

- O que significa “busca o chinelinho da mamãe, busca”?

- É para você ir buscar o chinelo para a sua dona, respondi.

- Eu sabia, eu sabia. Eu sou o mais inteligente, eu sou o maior! Gritava todo convencido e logo o São Bernardo, que nitidamente gostava de irritar o Pintcher, falou:

- É mesmo o maior. A maior pulga que eu já vi!

Ouviu-se uma gargalhada sem igual.

O pintcher rosnou e disse-lhe

- Eu ouvi o que você falou e é melhor você pedir desculpas.

Nova gargalhada e então eu disse-lhes:

- Vamos parar com isso, encoste os focinhos um no outro como sinal de amizade.

O São Bernardo, aquele tipo Bethoven do filme, muito brincalhão, retrucou:

- Então eu vou ter que me deitar para alcançar o focinho do dobermann pigmeu?

- Olha a ofensa com a minha raça!

Respondeu um dobermann, também brincalhão, que estava encostado na parede, para a gargalhada de todos, menos é claro, do pequeno Pintcher que acabou encostando o focinho no do São Bernardo e recebeu uma lambida em sua cabeça como sinal de carinho.

A velha labrador que voltou a deitar-se disse que sentia muita saudade do seu antigo dono, um deficiente visual de quem durante muitos anos fora o seu guia e quando ela já não tinha mais idade para acompanhá-lo, trouxe outro cão para lhe substituir, porém, não a abandonou e a tratou com todo o carinho até ela ser chamada para a nova missão.

- Tem homens bons e homens ruins e você deu sorte de ter um dono do bem.

Respondi-lhe.

Outro pitbull todo cheio de curativos levantou a pata e pediu licença pra falar também e disse-nos que o seu dono não era muito bom e que o obrigava a participar de rinhas (brigas de cachorro) onde se apostava dinheiro.

- Eu era obrigado a machucar muito os outros cachorros e também eles me machucavam muito. Eu não gostava nem um pouco daquilo, mas tinha que servir o meu dono e quando eu perdi uma briga, levei uma surra e fui jogado pra fora de casa. Vivi perambulando e todos tinham medo de mim. Um dia me deram um pedaço de carne saborosa e depois que eu comi, comecei a passar mal, sentindo muitas dores na barriga e acordei aqui, para a nova missão.

- Pôxa, te deram carne envenenada? Como deve ter sido triste a sua vida!

Respondi passando a mão sobre a sua cabeça e recebendo uma lambida muito gostosa.

- Eu gostaria de tirar uma dúvida com vocês.

Falei em direção a todos

Por que vocês têm mania de cheirar o traseiro de todos os cachorros que vocês encontram?

O Pintcher pulou e gritou:

- Me deixa responder, me deixa responder?

O São Bernardo, gozador nato, replicou:

- Com esse seu tamanho você já conseguiu cheirar algum traseiro, pigmeu?

- Parem com isso. Deixem-no falar.

Interferi.

- É porque pelo cheiro nós sabemos se o colega já demarcou alguma área perto da nossa. Nós somos bons no olfato e através do cheiro reconhecemos qualquer um. Quando passamos por algum lugar demarcado, também colocamos nosso cheiro para que quando nos encontrarmos possamos nos reconhecer.

O São Bernardo deu uma piscada e aplaudiu o pequeno cãozinho que ficou todo cheio.

- Então é isso?

Perguntei.

- É exatamente como o anãozinho falou.

Replicou o Doberman.

- Anãozinho é a ...

- Parem com isso, interferi antes que ouvisse um palavrão do Pinscher.

- Boca suja!

Respondeu o Doberman..

- Eu não ia falar palavrão não, viu?

Falou o pintcher olhando pra mim

- Eu sei que você seria incapaz!

Respondi piscando para o São Bernardo e o Doberman que estavam com a pata na boca para esconder a gargalhada.

A conversa estava muito animada quando um boxer de cara toda enrugada, perninhas tortas, gritou:

- Olha o arco-íris!

E todos correram para pegar seus pertences e se cumprimentavam tocando os focinhos um no outro e se esfregando como os gatos gostam de fazer e eu perguntei para o Baiuki o que era aquilo e ele disse:

- O arco-íris é que nos leva para nosso novo lar e quando ele aparece é porque já estamos autorizados a seguir a viagem até o nosso mundo dos homens bons.

- Como assim?

- Veja, não é qualquer arco-íris, mas somente aqueles que aparecem no final do dia e então corremos através dele para chegarmos ao nosso novo mundo onde eu vou estar te esperando, mas não tenha pressa, você ainda tem que cumprir a sua missão.

- Baiuki, eu estou com medo!

- Por que?

- Tenho medo da morte.

- Não sei o que isto significa, pois ninguém morre, apenas cumpri a missão e vai para um lugar especial que é a coisa mais linda que alguém já viu.

- E você já viu?

- Não, mas os anjos me contaram

- Você vai me deixar de novo?

- Eu tenho que ir atravessar o arco-íris, mas vamos deixar um presente pra você não sentir muito minha falta. Disse-me com a patinha sobre a poodle de laço vermelho no pescoço e continuou:

- Agora você tem que voltar para cumprir a sua missão.

- Um presente?

- Sim e você o reconhecerá quando o ver.

Respondeu a poodle.

Fiquei triste por deixar novamente o meu amigo Baiuki e voltei para a cama, acordando com minha mãe passando um pano úmido em minha testa e gritando para o meu pai:

- Ele acordou!

A febre já baixou, graças à Deus!

- Eu estou mellhor, mamãe?

- Sim filho, você estava delirando e dizendo coisas que nós não entendíamos tipo latido, sei lá, e ficamos todos desesperados e pensamos que fossemos te perder.

- Mãe, a senhora não vai acreditar no que me aconteceu. Eu encontrei o Baiuki e conversamos muito. A senhora precisava ver como são engraçados os cachorros e tem até anjo, mamãe.

- Filhinho, você estava delirando, mas agora está tudo bem.

- Mas, mãe é verdade!

- Não filho, foi apenas delírio, o Baiuki se perdeu só isso e com certeza ele está bem.

- Mas mãe, olha para debaixo da cama, veja pelo furo na parede e observe o outro lado.

- Não tem furo nenhum filho. Foi só um sonho.

Olhei para baixo e não tinha mais nenhum furo e pensei que realmente eu tivera sonhado. Mas, tinha sido um lindo sonho e me entristeci novamente com saudades do meu cãozinho. Olhei para a janela na esperança de ver o arco-íris, mas já estava de noite e então peguei o meu cachorrinho de pelúcia e me deitei esperando sonhar novamente com o Baiuki, quando o meu pai entra no quarto e diz:

- Veja, filho! Veja que coisinha mais linha apareceu aqui na nossa porta!

Ele trazia um cachorrinho com o mesmo laço vermelho que a poodle estava usando e reconheci imediatamente o presente que o Baiuki disse que iria me deixar, então perguntei:

- Mãe, hoje teve arco-íris no céu?

- Filho, hoje teve o mais lindo que eu já tinha visto, pena que você estivesse doente e não pôde vê-lo.

Abracei fortemente o cachorrinho, dei uma gargalhada e gritei:

- Não foi sonho, o meu Baiuki vive no mundo dos homens bons!

Meus pais não entenderam, mas sorriram pra mim contentes por me verem feliz.
*
Anderson Balderrama dos Rei, paulista, pós graduado com especilização em Gerenciamento de Pessoas, palestrante e autor do livro " Clareira, quando a amizade é essencial"
Fonte do artigo: http://www.artigonal.com/ficcao-artigos/o-meu-cachorro-atravessou-o-arco-iris-1411973.html

sábado, 6 de novembro de 2010

JOLLY FOI ROUBADA!!!!



JOLLY



Essa York mora na praia grande SP
bairro: balneário Maracanã
foi tirada de dentro do portão da casa dela no dia 25 de outubro, á tarde.
Ninguém viu nada!


Ela se chama Jolly e a dona dela tem o perfil de NORMA CRIATIVA


perfil da Jolly e do Brad
http://www.blogger.com/goog_1251848993


ESSE É O PERFIL DA MÃEZINHA DA JOLLY
http://www.orkut.com.br/Main#Profile?uid=12872948261851282955

Se alguem souber de alguma notícia, entre em contato:
Telefones:
(11)8275-4453
(13)3495-6220
Email- contato.norma@hotmail.com


VAMOS AJUDAR!!!!
REPASSEM AOS SEUS CONTATOS!!!!

OBRIGADA!!!
Rejane Montresor
Capelinha de São Francisco
Memorial Pets

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

A perda do melhor amigo




A perda do melhor amigo

É inevitável, mas isso não significa que todos estejam preparados para enfrentar a morte de um animal de estimação. Pelo contrário. Conheça relatos de pessoas que superaram o sofrimento sem abrir mão da saudade

Sempre é difícil perder um animal de estimação. Apesar de todos saberem que a vida deles é relativamente curta em relação à dos seres humanos, em alguns casos há uma ligação tão forte como a com um membro da família. “Para cada um o animal representa uma coisa. O cachorro não é apenas um cachorro quando perdemos, é mais. Depende de quando a pessoa ganhou o animal, que tipo de entrada ele teve na sua vida”, explica Shirley Valera Rialto Sesarino, professora de Psicologia da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR).

Em cada faixa etária, a perda é vivida de maneira diferente. Não que as crianças sintam mais que os adultos, tudo depende da história do dono e de como ele se relacionava com o bichinho. “Pode ser que a pessoa faça as trocas afetivas com seu animal de estimação. Tanto a criança quanto o adulto vive o luto. Como ela vai vivenciar isso varia muito”, comenta Jurândi Serra Freitas, psicóloga e professora da Universidade Tuiuti do Paraná.

Se fosse pela profissão, Rita de Cássia Silva Ribeiro, médica veterinária, já deveria ter se acostumado a lidar com a perda. Mas não é bem assim, os veterinários também sofrem, mesmo quando acontece com um animal de estimação dos outros. Rita escolheu a profissão em parte pela convivência com a sua gata Chaminha, uma SRD que morreu em 2005 com 14 anos. Parte da infância e da adolescência de Rita foi ao lado da gata. “Ela dormia comigo. Era tão branquinha”, conta. As doenças de pele e doenças bucais comuns em gatos foram a causa da morte. “Quando ela se foi eu já era veterinária, mas não consegui fazer nenhum tratamento. Quando o animal é nosso, nos desligamos da profissão e sofremos junto.”

Enfrentamento

Rita teve a ajuda de outros bichinhos na hora de superar a dor da perda. Ela já tinha adotado outros gatos e cães, que, de certa forma, ajudaram a enfrentar a perda de Chaminha.

Outro animal pode ajudar a superação, mas, segundo as psicólogas, a adoção de um novo mascote logo após a perda não é indicada. “Para a criança, isso soa como se a morte não significasse nada para a família. Como se não houvesse uma permissão para ficar triste. Não que seja proibido colocar outro animal na vida da pessoa, mas é preciso de um tempo para elaborar a perda”, afirma Shirley.

A médica veterinária Cristina Chedid Silvestre Coelho Neto, da Clínica Veterinária Vetclin, alerta que a espera na adoção deve ser respeitada principalmente em casos de morte por alguma doença viral. “Os vírus da leptospirose, parvovirose e sinomose, por exemplo, ficam no ambiente de seis meses a um ano.

* * * * * *

Juliana Vines
Gazeta do Povo

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

QUANDO CÃES VÃO PARA O CÉU



QUANDO CÃES VÃO PARA O CÉU

Não necessitam asas porque Deus sabe que eles preferem correr.
Ele lhes dá campos. Campos, campos e campos.
Assim que um cão chega ao Céu ele só corre.
O paraíso dos cães tem grandes lagos de águas claras cheios de gansos que cantam, que batem suas asas e que brincam.
Os cães se encantam...correm ao lado da água e latem,
latem e Deus os vê por detrás de uma árvore e sorri.

Ali há crianças, por certo, meninos anjos.
Deus sabe que os cães amam muito as crianças mais que tudo no mundo,
portanto, Ele enche o Paraíso dos Cães com muitas crianças.
Há crianças de bicicleta e empinando pipas através das nuvens, outras brincando com bonecas e casinhas.
Os cães estão ali e as crianças os amam!
Ah! E há bolachas para cães...biscoitos e mais biscoitos, tantos quantos
possamos imaginar. Deus tem senso de humor e faz biscoitos com formas divertidas para seus cães. Há biscoitos em forma de gatinhos, de argolas, de picolés, de sanduíches de presunto. Cada anjo que passa deixa um biscoito para um cão.

E por certo, todos os cães de Deus se sentam quando os anjos lhes dizem: "Senta".
Cada cão é um bom cão no Paraíso dos Cães.

Deus sai das nuvens para fazer camas branquinhas para os cães e, quando estão cansados de correr, latir e comer biscoitos de sanduíche de presunto, os cães encontram uma cama de nuvens para dormir. Eles rodam uma e outra vez nas nuvens até se sentirem bem, então eles se acomodam e dormem. Deus cuida deles, de cada um deles e não há preocupações.

Os cães do Paraíso dos Cães quase sempre pertenceram a alguém lá na Terra e, por certo, se recordam. O Paraíso está cheio de recordações. Por isso, ás vezes, um anjo levará um cão de volta à Terra para uma curta visita e, silenciosamente, invisivelmente, o cão irá cheirar seu antigo quintal, investigará o gato do vizinho, seguirá a criança até a escola, se sentará em frente de sua casa, esperará o carteiro passar e você chegar. Quando estiver certo de que tudo está bem com você e com aqueles que ele deixou, mas não esqueceu seu amor, o cão regressará ao Paraíso com o anjo, que é o lugar que pertencem aos cães, perto de Deus que os criou.

Aos cães no Paraíso dos Cães que não tiveram um lugar certo na Terra, lhes é dado um no Paraíso. Os locais têm quintais, jardim, almofadas onde descansar e mesas para ficarem embaixo enquanto os anjos ceiam. Há comedouros especiais com os nomes dos cães e cada um deles é acariciado e à cada um é dito que foi um ótimo cão durante o dia!
Os cães no Paraíso dos Cães podem descansar o tempo que quiserem e isto pode ser pra sempre.

Eles estarão ali quando seus antigos donos chegarem. Eles estarão ali na porta e correrão para junto dos recém chegados amigos e lhes lamberão as mãos, como já o fizeram tantas e tantas vezes na Terra".

Autoria desconhecida

terça-feira, 2 de novembro de 2010

UM LUGAR, UNS AMIGOS


UM LUGAR, UNS AMIGOS

EXISTIU UM QUINTAL ONDE A FELICIDADE MORAVA
E OS VELHOS EM CRIANÇAS SE TORNAVAM
EXISTIU UMA CASA DE PAREDES SORRIDENTES
DE TETO CONTENTE E CHÃO RELUZENTE
O VENTO TRAZIA FOLHAS PRA BRINCAR
AS PLANTAS E FLORES GARGALHAVAM
E O SOL DOURAVA TODO O LUGAR

CORRÍAMOS VELOZES NO PIQUE-PEGA
APRENDENDO TÃO BEM O ESCONDE-ESCONDE
PARA A TRISTEZA NUNCA NOS ACHAR

OS MOMENTOS PARECIAM ETERNOS
COLORIDOS COMO ARCO-IRIS NO OLHAR
O CÉU ERA ALI MESMO – TÃO PEQUENO
ACESSÍVEL PRA QUEM MAIS QUISESSE ACHAR

MAS A RODA DA VIDA NÃO TEM GRAÇA
E O PALHAÇO DO MAL FEZ TRAPAÇA
SÓ PRA VER A GENTE CHORAR

OS ANJOS VOARAM PARA LONGE
E FOI UM MINUTINHO SÓ...
A BRUXA ASSIM FEZ O ESTRAGO
“NUNCA MAIS EU TRAGO” - ELA DISSE
“ALGUÉM PRA CONTIGO BRINCAR”

A DOR NO CORAÇÃO - DESCONHECIDA
FOI A CONSTANTE COMPANHEIRA DESDE ENTÃO
OS AMIGUINHOS SE FORAM PARA SEMPRE
DEIXANDO UMA SAUDADE DOLORIDA

TODA A COR DA VIDA SE DESFEZ
EM TOTAL MONOCROMIA
PORTAS E JANELAS SE FECHARAM
O SOL E AS ESTRELAS SE APAGARAM
E OS MEUS PASSOS SE PERDERAM PELA VIA.

Poema para meus cockerzinhos Baloo e Mell, que cruzaram a ponte do Arco-Iris
(um com 14 e o outro com apenas 9 anos).
Eles mudaram minha vida, me tornaram uma pessoa melhor
- voltei a ser criança... mas que com a falta deles agora, inconsolável,
sinto que meu coração se foi com eles, deixando no lugar uma grande
ferida que sangra sem parar...
amo vocês para sempre meus amores!
Da mamãe e vovó Marta


segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Dia de Finados




"Saudades... Dos nossos Anjos que se Foram"
(humanos)

Nós cristãos católicos, admitimos e proclamamos a imortalidade da alma, a nossa alma não acaba por aqui, isto aqui é uma passagem, nós somos peregrinos. Cremos na sobrevivência consciente logo depois da separação do corpo pela morte.





Que estejam em TEUS braços
nossos Anjos chamado por TI
Sem a nossa Fé PAI não conseguiríamos
superar a tristeza que tomou
conta de nossos Corações!
Abraça-nos ó meu Deus!
Aperta-nos contra Teu Coração!

Só o Senhor Jesus pode dar o conforto
às Famílias enlutadas com a dor da Saudade
dos nossos entes queridos...
Que a dor da Saudade seja minimizada
com a certeza do reencontro em TI
Que assim seja! Amém!