.ღ Saudade lembrada, saudade sentida, saudade hoje e para o resto da vida...saudade eterna! ღ

.ღ Saudade lembrada, saudade sentida, saudade hoje e para o resto da vida...saudade eterna! ღ

.

.

ღ NO MOMENTO AS HOMENAGENS ESTÂO SUSPENSAS! Abraços fraternos!

ღ NO MOMENTO AS HOMENAGENS ESTÂO SUSPENSAS!  Abraços fraternos!
As homenagens são publicadas conforme a disponibilidade de tempo. Se ela chegar sem foto e mensagem não poderei publicar. As homenagens são publicadas conforme a ordem de chegada no e-mail.

.

.

ღ NO MOMENTO AS HOMENAGENS ESTÂO SUSPENSAS! ABRAÇOS FRATERNOS!

segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Oração do Natal II


Oração de Natal
.
Senhor Deus, Pai tão amado,
O Senhor que nos mandou seu filho,
Por meio de Maria, a Virgem Imaculada,
Receba essa minha oração,
Em honra ao aniversário do Teu Filho Jesus,
Que nos ilumina todos os dias com a Sua Luz.
.
Essa oração nada tem a pedir,
Ao contrário, venho por ela agradecer.
Agradeço por todos os dias em que eu acordo,
E tenho a oportunidade de servir ao meu propósito,
Nesse dia eu sou feliz, ainda que haja tristeza,
Pois sua determinação foi cumprida e abençoada.
.
Agradeço por todas as minhas glórias,
E peço que elas não me façam arrogante,
Pois quem serve ao Pai não precisa ser notado,
Basta que seja feito com amor e dedicação,
Semeando cada semente, irrigando cada plantação,
Para que a colheita seja a mais iluminada.
..
Agradeço por todas as derrotas experimentadas,
Pois delas extraio sempre a melhor lição,
O erro ensina, a derrota purifica,
Deus escreve certo por linhas certas,
E nós é quem nos recusamos a aceitar
E as chamamos tortas, quando é certo o lapidar!
.
Agradeço por cada noite de descanso merecido,
Quando me deito e reflito sobre o meu dia,
Converso com o Pai, com o Filho, e juntos invadimos,
O universo que vai além da fronteira do visível,
Lá, eu me sinto livre, sem qualquer resíduo,
Desse corpo físico que me serve de asilo.
.
Enfim, Pai, porque devo eu pedir alguma coisa?
Se tenho tudo, e apenas de mim depende a empreitada,
Seguindo seus princípios, serei feliz e forte,
E não temerei nada, sequer a chegada da morte...
Que me levará de volta às minhas origens,
E me permitirá escolher novamente a minha sorte.
.
Obrigada, Pai, por mais esse Natal repleto de Luz,
Por ter meus entes queridos ao meu redor sempre,
Obrigada por ter nos dado a felicidade de festejar,
Mesmo que o aniversariante não precise desses rituais.
Obrigada, Pai, por nos trazer sempre o melhor caminho,
E permitir que exercitemos nosso livre arbítrio.




domingo, 29 de novembro de 2009

Poema do Natal

Poema da Madrugada
.
Contigo sonharei
um sonho de criança
na véspera do natal.
Com uma árvore bonita
cheia de luzes coloridas
e caixas de presente...
Junto dela um presépio com
uma criancinha de braços abertos
e de sorriso inocente...
Ao lado, num banquinho de 3 pés,
um gorduchinho vermelho,
de bochechas rosadas
aguardando a hora de sair pela noite
para levar os presentes
do natal do Menino Deus!!!



sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Oração do Natal


Senhor
.
Começo a ouvir os primeiros toques das músicas de Natal.O meu coração começa a bater mais forte.
Não sei se é porque está acabando o ano ou se é porque tenho muito que agradecer, ou se tenho que dizer para Ti, para meus amigos, muito obrigada...
São tantas as idéias, são tantas as coisas que aconteceram...São tantos os momentos que ocorreram neste ano, que já me perdi em lágrimas, sorrisos,recordações... mas ficaram os apertos de mão e os abraços recebidos.
São tantas e tantas coisas... muito obrigada!!!
Sei que devo agradecer por mais um ano e com ele mil sonhos e mil idéias para acontecerem.
Mas, diante deste turbilhão de coisas e acontecimentos, eu venho Te pedir... Tu mesmo me ensinaste a pedir, mas não sei pedir... estou como uma criança, diante de uma loja de brinquedos.
Senhor, ensina-me a pedir!
Ensina-me a ter um coração de Salomão, que só pediu sabedoria.
Um coração de criança, que só pede amor.
Um coração de doente, que só pede saúde.
Um coração de monge, que só pede tranqüilidade.
Um coração de cego, que só pede enxergar.
Um coração de guerreiro, que só pede coragem.
Um coração de mãe, que só pede união na família.
Um coração de pai, que só pede que não falte nada.
Um coração de virgem, que só pede realização na vida.
Um coração de médico, que só pede para poder ajudar os outros.Um coração de sábio, que só pede a paz.
Senhor, que este pobre e humilde coração, possa neste Natal apenas bater uníssono com o coração de Cristo e que eu possa ter em minha mente um só pensamento:
o Teu pensamento, para que eu saiba dizer:
.
Feliz Natal!!!




quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Estrelinha Elvis



05/03/2007
†24/11/2009
.
ELVIS
.
Quero deixar minha homenagem ao meu mano a calopsuta ELVIS
( chamado por nós de ELVINHO ) que morreu na terça feira dia 24 de novembro.
Ele foi um guerreiro pois ano passado sofreu uma tentativa de assassinato,
isto é apertaram o pescoçinho dele , aí a antiga dona chegou na hora e tirou ele dessa situação e o levou ao vet onde ficou internado,
depois disso ela cuidou dele por quase 1 ano até não ter mais condições
e o deu para a minha mãe humana ,
ele chegou em nossa casa em 29 /12/2008,
e desde esse dia ele travava uma luta pra viver com várias perfurações
de saco aéreo que fazia com que ele inchasse todinho ,
assim tinha que correr logo para o vet poder tirar esse ar todo do corpinho dele,
a ultima cirurgia do ELVINHO foi em agosto ,
mas infelizmente ele desde sábado começou a passar mal e acabou não resistindo ,
ele estava internado no clinica veterinária .
A minha mamys humana chora o tempo todo e ainda não se conforma
Amadinho nosso
Vamos sentir muitas saudades
Não te esqueceremos jamais
Te amamos
Sua mana Milulindona
e
Mamys

 



domingo, 22 de novembro de 2009

Estatuto do Natal

Estatuto do Natal
Ernest Sarlet
.
Art. I:
Que a estrela que guiou os Reis Magos para o caminho de Belém guie-nos também nos caminhos difíceis da vida.
Art. II:
Que o Natal não seja somente um dia, mas 365 dias.
Art. III:
Que o Natal seja um nascer de esperança, de fé e de fraternidade.Parágrafo único:Fica decretado que o Natal não é comercial, e sim espiritual.
Art. IV:
Que os homens, ao falarem em crise, lembrem-se de uma manjedoura e uma estrela, que como bússola, apontam para o Norte da Salvação
Art. V:
Que no Natal, os homens façam como as crianças:
dêem-se as mãos e tentem promover a paz.
Art. VI:
Que haja menos desânimos, desconfianças,
desamores, tristezas.
E mais confiança no Menino Jesus.
Parágrafo único:
Fica decretado que o nascimento de Deus Menino é para todos:
pobres e ricos, negros e brancos.
Art. VII:
Que os homens não sigam a corrida consumista de "ter",
mas voltem-se para o "ser", louvando o Seu Criador.
Art. VIII:
Que os canhões silenciem, que as bombas fiquem eternamente
guardadas nos arsenais, que se ouça os anjos cantarem Glória a Deus no mais alto dos céus.
Parágrafo único:
Fica decretado que o Menino de Belém deve ser reconhecido por todos os homens como Filho de Deus, irmão de todos!
Art. IX:
Que o Natal não seja somente um momento de festas, presentes.
Art. X:
Que o Natal dê a todos um coração puro, livre,alegre, cheio de fé e de amor.
Art. XI:
Que o Natal seja um corte no egoísmo. Que os homens de boa vontade
comecem a compartilhar,
cada um no seu nível, em seu lugar,
os bens e conquistas da civilização e cultura da humildade.
Art. XII:
Que a manjedoura seja a convergência de todas as coordenadas das idéias, das invenções, das ações e esperanças dos homens para a concretização da paz universal.
Parágrafo único:
Fica decretado que todos devem poder dizer,ao se darem as mãos:
.
FELIZ NATAL!





terça-feira, 17 de novembro de 2009

Quando Deus criou a terra e o céu

Quando Deus criou a terra e o céu
.
Nada foi deixado ao léu.
As árvores, as flores os peixes no marAs aves e insetos, passando no ar
E quando finalmente terminou
Tudo era novo, belo e profundo
O Senhor então pensou
Vou sozinho caminhar por este mundo
Viajou muito e um nome dava a tudo que via
E por onde quer que caminhasse
Uma pequena criatura o seguia
Sempre a seus pés, mesmo quando a força já fugia
Finalmente sobre a terra, o céu e o mar,
Tudo tinha um nome, tudo estava no no lugar
E a pequena criatura então falou :
E a mim Senhor, de que maneira, vais chamar?
Fazendo um carinho no cansado animal,
Ternamente o Pai lhe disse :
“Deixei-te pro final”.
Mas não te entristeças comigo
Pois mais que um nome, te chamarei de AMIGO !!!

autor: desconhecido



sexta-feira, 13 de novembro de 2009

O Gato Zen

O Gato Zen
.
O Homem estava muito triste. Sabia que os dias do Gato estavam contados. O médico havia dito que não havia mais nada a fazer, que ele deveria levar o Gato para casa, e deixá-lo o mais confortável possível.
O Homem acariciou o Gato em seu colo e suspirou. O Gato abriu os olhos, ronronou e olhou para o Homem. Uma lágrima escorreu pela face do Homem e caiu na testa do Gato. O Gato lhe lançou um olhar ligeiramente irritado.
"Por que você está chorando, Homem?", perguntou.
"Porque não suporta a idéia de me perder?
Porque acha que nunca vai poder me substituir?"
O Homem fez que sim com a cabeça.
"E para onde acha que eu irei quando deixar você?", o Gato perguntou.
O Homem deu de ombros, sem saber o que dizer.
"Feche os olhos, Homem", disse o Gato.
O Homem o olhou sem entender bem, mas obedeceu.
"De que cor são meus olhos, meu pêlo?", o Gato perguntou.
"Os olhos são dourados e o pêlo é marrom, um marrom intenso e vivo", o Homem respondeu.
"E em que parte do corpo tenho pêlos mais escuros?", o Gato perguntou.
"Nas costas, no rabo, nas pernas, no nariz e nas orelhas", disse o Homem.
"E em que lugares você mais costuma me ver?", perguntou o Gato.
"Eu vejo você... no parapeito da janela da cozinha, observando os passarinhos... na minha cadeira preferida... na escrivaninha, deitado em cima dos papéis de que eu preciso... no travesseiro ao meu lado, à noite".
O Gato assentiu.
"Você consegue me ver em todos esses lugares agora, mesmo de olhos fechados?", perguntou.
"Claro. Vi você neles por muitos anos", o Homem disse.
"Então, sempre que você quiser me ver, tudo o que precisa fazer é fechar os olhos", disse o Gato.
"Mas você não vai estar lá de verdade", respondeu o Homem com tristeza.
"Ah, é mesmo?", disse o gato.
"Pegue aquele barbante do chão - ali, meu 'brinquedo'".
O Homem abriu os olhos, esticou o braço e pegou o barbante. Tinha uns 60 centímetros e o Gato conseguia se divertir com ele por horas e horas"De que ele é feito?", o Gato perguntou.
"Parece que é de algodão", o Homem disse.
"Que vem de uma planta?", perguntou o Gato.
"Sim," disse o Homem."De uma só planta ou de muitas?"
"De muitos algodoeiros," o Homem respondeu.
"E seria possível que outras plantas e flores nascessem no mesmo solo do algodoeiro?
Uma rosa poderia nascer ao lado do algodão, não?", perguntou o Gato.
"Sim, acho que seria possível", disse o Homem.
"E todas as plantas se alimentariam do mesmo solo e da mesma chuva, não é?", o Gato perguntou.
"Sim", disse o Homem.
"Então, todas as plantas, a rosa e o algodão, seriam muito parecidas por dentro, mesmo aparentando ser muito diferentes por fora", disse o Gato.
O Homem concordou com a cabeça, mas não conseguia entender o que aquilo tinha a ver com a situação.
"E então, aquele barbante", disse o Gato, "é o único barbante do mundo feito de algodão?"
"Não, claro que não", disse o Homem, "foi tirado de um rolo de barbante".
"E você sabe onde estão todos os outros pedaços de barbante, e todos os outros rolos?", perguntou o Gato.
"Não, não sei... seria impossível saber", disse o Homem.
"Mas mesmo sem saber onde estão, você acredita que eles existem. E mesmo que alguns pedaços de barbante estejam com você, e outros estejam em outros lugares... mesmo que alguns sejam curtos e outros sejam compridos, e mesmo que seu rolo de barbante não seja o único no mundo... você concorda que há uma relação entre todos os barbantes?", o Gato perguntou.
"Nunca tinha pensado nisso, mas acho que sim, há uma relação", o Homem disse.
"O que aconteceria se um pedaço de barbante caísse no chão?", perguntou o Gato.
"Bom... ele ia acabar enterrado, e se decompondo na terra", o Homem disse.
"Sei", disse o Gato.
"E talvez nascesse mais algodão naquele lugar, ou uma rosa".
"Pode ser", concordou o Homem.
"Quer dizer que a rosa no parapeito da janela pode ter alguma relação com o barbante na sua mão, e também com todos os barbantes que você nunca viu", disse o Gato.
O Homem franziu a testa, pensando.
"Agora pegue uma ponta do barbante em cada mão", instruiu o Gato.
O Homem fez o que foi pedido.
"A ponta na mão esquerda é o meu nascimento, e a na mão direita é minha morte. Agora junte as duas pontas", disse o Gato.
O Homem obedeceu.
"Você formou um círculo contínuo", disse o Gato. "Alguma parte do barbante parece diferente, melhor ou pior que qualquer outra parte dele?
"O Homem examinou o barbante e então fez que não com a cabeça.
"O espaço dentro do círculo parece diferente do espaço fora dele?", o Gato perguntou.
De novo, o Homem fez que não com a cabeça, mas ainda não sabia se estava entendendo onde o Gato queria chegar.
"Feche os olhos de novo", disse o Gato.
"Agora lamba a mão".
O Homem arregalou os olhos, surpreso.
"Faça o que eu digo", disse o Gato.
"Lamba a mão, pense em mim em todos os meus lugares costumeiros, pense em todos os pedaços de barbante, pense no algodão e na rosa, pense em como o interior do círculo não é diferente do exterior".
O Homem se sentiu bobo, lambendo a mão, mas obedeceu. Ele descobriu o que um gato deve saber, que lamber uma pata é muito relaxante, e ajuda a pensar mais claramente. Continuou a lamber, e os cantos da boca começaram a esboçar o primeiro sorriso que ele dava em muitos dias.
Esperou que o Gato lhe mandasse parar mas, como este não mandou, abriu os olhos. Os olhos do Gato estavam fechados. O Homem acariciou o pêlo marrom, quente, mas o Gato havia morrido.
O Homem cerrou os olhos com força e as lágrimas começaram a escorrer pelo seu rosto.
Viu o Gato no parapeito da janela, na cama, deitado em cima dos papéis importantes. Ele o viu no travesseiro ao seu lado, viu os olhos dourados brilhantes, e o marrom mais escuro no nariz e nas orelhas. Abriu os olhos e, por entre as lágrimas, olhou para a rosa que crescia em um vaso na janela, e depois para o barbante que ainda segurava apertado na mão.
Um dia, não muito depois, tinha um novo Gato no colo. Era uma linda gata malhada... tão diferente do seu querido Gato anterior mas, ao mesmo tempo, tão parecida.
.
Tradução: Daniela Travaglini Copyright © 2001 by Jim Willis. Todos os direitos reservados.Copyright da tradução brasileira © 2003 by Lugano Editora


sexta-feira, 6 de novembro de 2009

O que os Gatos fazem por nós

O que os Gatos fazem por nós
.
Esquentam nosso colo e nos dão alguém para falar.Ajudam a baixar a pressão.
Criam um elo entre você e as outras pessoas que têm gatos.
Transformam objetos comuns em brinquedos.
Nos faz mais atentas aos pássaros.Funcionam como alarme.
Exibem acrobacias para você.
Contribuem para tornar sua vida mais longa.Enfeitam o peitoril da janela.
Mantém os ratos longe.
Nos faz sorrir.Inspira os poetas e escritores.
Nos ensina a ter os pés no chão.Nos faz deixar nossos desejos em segundo plano em prol de alguém.
Aquecem nossas casas e nossos corações.
Nos lembram de como a vida é misteriosa.
Compartilham conosco o seu ronronar.
Nos instruem na arte de se espreguiçar.
Mostram-nos como levantar a poeira e dar a volta por cima.
Fazem com que até nosso sofá velho pareça bonito.
Abrem nossos corações.
.
Autoria Desconhecida