.ღ Saudade lembrada, saudade sentida, saudade hoje e para o resto da vida...saudade eterna! ღ

.ღ Saudade lembrada, saudade sentida, saudade hoje e para o resto da vida...saudade eterna! ღ

.

.

ღ NO MOMENTO AS HOMENAGENS ESTÂO SUSPENSAS! Abraços fraternos!

ღ NO MOMENTO AS HOMENAGENS ESTÂO SUSPENSAS!  Abraços fraternos!
As homenagens são publicadas conforme a disponibilidade de tempo. Se ela chegar sem foto e mensagem não poderei publicar. As homenagens são publicadas conforme a ordem de chegada no e-mail.

.

.

ღ NO MOMENTO AS HOMENAGENS ESTÂO SUSPENSAS! ABRAÇOS FRATERNOS!

sábado, 29 de setembro de 2012

Estrelinha Luck





Luck

Adeus meu amigo, você ficará pra sempre em nossa vida, em nossa lembrança!!!

Edelweiss Moretzsohn





Estrelinha Galihad




Galihad

Meu Galihad, nos deixou de repente, inesperadamente, espero reve-lo um dia na Ponte do Arco Iris
um dia..
I love you soo much
Mio Eterno Amore.

Deta Costa



quinta-feira, 27 de setembro de 2012

Estrelinha Badu





Querida Badu

Esta cachorra foi muito especial para nossas vidas. Ela nos alegrou, consolou, brincou e nos guardou. Ela SEMPRE esteve feliz. Ela sempre exigiu muita companhia, pois era exatamente o que ela era para nós: uma grande companheira. Eu estarei com você, Badu, sempre em meu coração. Que Deus ilumine seu lindo caminho rumo à paz.

Amo você, vá com Deus.

Denise Capece


Estrelinha Teco Pimenta




Teco Pimenta

Nesta semana fez um ano que meu amorzinho foi para ponte do arco iris, a saudade é grande nossa, parece que estou vivendo tudo aquilo de novo, fui ao cemitério de cachorrinhos visitar o seu túmulo na segunda feira, nossa que baque! Quase não acreditei quando cheguei e vi seu nome na lápide, cofesso que que a minha ficha só caiu agora um ano depois, parece coisa de criança de louca, diria alguns, mas por incrivel que pareça eu sempre pensei que um dia ele iria voltar, mas qual o que se passaram um ano e nunca mais pude ver a carinha do meu pretinho novamente. 
Fica com Deus meu lindo, 
descanse em paz um dia iremos nos encontrar novamente.

Beatriz Pimenta





quarta-feira, 26 de setembro de 2012

O poder das redes sociais para cães de abrigo



O poder das redes sociais para cães de abrigo


Por um tempo, eu fui pregar a importância das redes sociais para os cães de abrigos. O mais comum a nós, são maiores as chances de um cão está sendo salvo.

Em teoria , você provavelmente pense, que faz sentido . Mas talvez você precisa ver a prova real para realmente acreditar. Nico é toda a prova que você precisa.

A foto acima é incrivelmente triste, Nico um Dog Argentino de 6 anos e também surdo, que estava em um abrigo para animais em Los Angeles, no verão de 2009. A foto pinta um quadro tão desolador da vida de um cão. Nico estava quebrado, Derrotado, arrasado. Ele tinha desistido e perdido toda a esperança, como muitos animais fazem quando são abandonados.

É uma foto difícil de olhar, não é? Mas esta foto mudou a vida de Nico.



Quando a foto virou hit na internet, ele aquebrantou o coração de todos que o viram. Felizmente alguns corações foram tocados em um bom caminho. As pessoas se sentiam motivados a fazer alguma coisa. Eles queriam mudar o final da história de Nico.




As pessoas começaram a compartilhar a foto de Nico e sua história. E desde que o mundo da internet é um lugar muito pequeno, a notícia se espalhou como um incêndio. Logo Nico foi retirado do abrigo de Los Angeles, embora ele tenha sido rotulado como "perigoso" e se acreditava ter sido usado para rinhas de cães.



Nico acabou em Noblesville, Indiana, no abrigo onde sou voluntário. Ele foi doado para uma mãe maravilhosa que o ensinou a ser um animal de estimação. Ela mostrou-lhe, provavelmente pela primeira vez em sua vida, o que era ser amado. As pessoas que se tornaram família de Nico o encontrou graças a sua imagem no site do abrigo. Levaram-no para casa e integraram ele em sua família, e desde então eles deram a Nico muito amor e até uma irmãzinha.




A vida de Nico não tem sido sem desafios. Mas ele é outro cão hoje em dia, diferente de 3 anos atrás. Ele está vivendo o tipo de vida que um cão merece, com uma família que o adora.

Hoje Nico é o amor da família. Ele até tem seu próprio Facebook. E nada disso teria sido possível sem as almas bondosas que através das redes sociais, permitiram essa mudança na vida de Nico.



Então, da próxima vez que você estiver folheando Facebook, sites de abrigos e você se deparar com uma foto de um cão precisando de ajuda, pare e Pense sobre isso. Pergunte a si mesmo como você pode ajudar. E então, acredite pois você pode fazer a diferença .

Christina Berry

http://www.thelazypitbull.com/2012/06/power-of-social-networking-for-shelter.html


A história de Nico

Lilica - A cadela solidária



Cadela Lilica enfrenta perigos de rodovia para alimentar outros animais
Há três anos, ela percorre 2 quilômetros para garantir o jantar dos bichos.
Moradora em um ferro velho, Lilica divide o espaço até com uma mula.

Em meio à sucata de um ferro velho, em São Carlos (SP), descansa um exemplo de solidariedade. A cadela Lilica mora no local e divide o espaço com um cão, um gato, um galo, uma galinha e até uma mula. Todas as noites, os bichos têm o jantar garantido porque Lilica faz a parte dela.
Quando a tarde vai embora, a cadela cumpre rigorosamente uma missão. O destino é casa da professora Lúcia Helena de Souza, que cria 13 cachorros e 30 gatos, todos recolhidos da rua. Depois de servir o jantar da turma, a professora prepara uma marmita para Lilica.
“Eu percebia que ela comia e ficava olhando para o que tinha na sacola. Aí uma vizinha disse que dava e impressão de que a cadela queria levar o resto da comida. Aí nós amarramos e ela pegou a sacola e levou. Daquele dia em dia a gente faz isso”, conta Souza.
O encontro é pontual, ocorre sempre por volta das 21h30. A cadela mata a fome, pega a sacolinha com o alimento separado pela professora e segue de volta ao ferro velho. São dois quilômetros de caminhada na lateral de uma estrada bem movimentada. No escuro, a pista fica ainda mais perigosa, mas Lilica atravessa com segurança e em poucos minutos chega com o jantar dos outros animais.
A catadora Neile Vânia Antonio, que encontrou Lilica abandonada ainda filhote na porta do ferro velho, pega a sacola e abre para todos os bichos do local comerem. O que sobra fica para o café da manhã. A história se repete todos os dias, há três anos.
Dona Neile diz que desde que viu a cadela pela primeira vez percebeu que ela era diferente. “A gente que é humano não faz isso. Algumas pessoas até escondem e não querem dividir o que tem. Ela não, Lilica é um animal excepcional”, afirma.

G1

terça-feira, 25 de setembro de 2012

Estrelinha Lola





Lola

Ela era uma cachorra basset so tinha 2 anos .mas neste anos me fez muito feliz era a alegria da minha casa.
Eu a amava tanto que só queria seu bem estar , mas as vezes me culpo ela estava tão bem que nem acredito que se foi ,só acredito porque foi no veterinário ve-la pela ultima vez . Sabe doí tanto lembrar parece que ela sabia... na ultima semana que viveu só dormia no chão perto de minha cama ,só ficava lá quando tinha medo.....Ah adora dormi no sofá .....


Carmem Digioto







Estrelinha Penelope





PENELOPE

HOJE ESTOU MUITO TRISTE, POIS MINHA CACHORRINHA PENELOPE QUE VINHA LUTANDO PELA VIDA JÁ HÁ UM MÊS, CONTRA A TERRÍVEL DOENÇA(SINOMOSE), MORREU.
QUANDO EU A COMPREI ELA JÁ ESTAVA COM O VÍRUS, ENTÃO FICOU POUCO TEMPO COMIGO, MAS POSSO DIZER QUE TODO O CUIDADO, DESDE CLÍNICO, COMO OS DE MAIOR IMPORTÂNCIA QUE É CARINHO, AMOR, EU DEI ATÉ DE MAIS. ENTÃO TUDO FIZ PRA VER MINHA PENELOPE BOA ,MAIS INFELIZMENTE FOI EM VÃO. PENSO QUE AGORA ELA DESCANÇA SEM DOR E SOFRIMENTO, PORQUE O NOSSO QUERIDO SÃO FRANCISCO ESTÁ COM ELA NOS BRAÇOS. FICA AGORA A DOR DE UMA GRANDE SAUDADE. ESTÁ FERIDA ABERTA, QUE AOS POUCO VOU TENTAR CURÁ-LA.

ANDRÉA GILMARA

domingo, 23 de setembro de 2012

Estrelinha JR




✰ 16/09/2012

JR

Há pouco mais de quatro anos eu fui adotado por esse camarada aí da foto... Em pouco tempo ele se tornou, sem dúvida nenhuma, meu melhor amigo, meu mais fiel companheiro, meu fã número 1...



Certo dia, quando voltava da faculdade, minha tia me ligou dizendo que haviam abandonado um pit bull tigrado no estacionamento de um supermercado no Rio de Janeiro e que um sargento do corpo de bombeiros o havia levado para uma ONG perto da minha casa... Resolvi conhecê-lo... Devido à sua história, chamavam-no de "Sargento"...
Fiquei aterrorizado ao ver o número de animais que esperam por um lar somente naquela ONG... Vi que meu futuro filho ocupava uma gaiola cujo tamanho mal permitia que ele ficasse em pé... E isso dentro de um quarto com mais uns 20 cachorros... No mesmo lugar, ele comia, dormia, fazia cocô e xixi... Assim que abriram a grade da gaiola, ele saiu andando e encaixou a cabeça entre minhas pernas, como se pedisse carinho nas costas... Nem consigo descrever a sensação que tive naquele momento... Ainda sinto exatamente a mesma coisa hoje, 4 anos e meio depois desse dia...
Como nunca fui pai, imagino que seja exatamente a mesma emoção que um pai sente ao ver seu filho pela primeira vez, ainda na sala de parto...


Não foi necessário mais do que uma frase da funcionária da ONG para que eu decidisse levá-lo dali para sempre: "Oooolhaaaaa! Ele escolheu o dono".... Escolhi um novo nome, o meu próprio nome! Então ele passou a se chamar Iuri Junior... Para mim, não podia haver orgulho maior do que ter meu nome num ser tão especial como aquele, muito embora ele nunca tenha atendido pelo nome que escolhi... Na verdade cada um o chamava de uma forma... Na ONG ele continuava sendo o "Sargento"... Eu o chamava de "Iuri Junior", minha mãe de "Neném" mas ele só atendia mesmo por "Vem cá"...
Muitos me criticaram por adotar um pit bull já adulto, cuja procedência, história e temperamento eu desconhecia... Além disso, diziam que seria ruindade com o bichinho criar uma raça de tal porte em um pequeno apartamento que nem varanda tinha... Mas eu já tinha resposta pra tudo! Minha casa era pequena, mas certamente muito maior do que a área de pouco mais de 2 metros quadrados que ele ocupava naquela ONG...



A princípio reservamos a área de serviço para ele... A final de contas, não havia a menor condição de deixar um cachorro daquele tamanho circulando por nosso apartamento... Passados apenas 2 minutos desde a hora em que o colocamos para fora da "área social" do apartamento, ele começou a chorar como uma criança abandonada... Nesse mesmo dia e em todos os que ele viveu comigo, o pé da minha cama passou a ser o único lugar aonde ele conseguia dormir... Enquanto eu não chegasse em casa, ele não dormia... E foi sempre assim... Desde o primeiro dia....
























Nesse ano, em março, ao chegar em casa de noite do trabalho, notei o que me pareceu ser um hematoma em sua pata direita dianteira... Fiz uma leve pressão no local e o ouvi choramingar de dor pela primeira vez nesses 4 anos... Imaginei logo que se tratara de algo realmente sério e corri com ele para uma emergência... Lá, ouvi da veterinária que aquilo seria, com toda a certeza, um osteossarcoma... Confesso que não me lembro muito do resto daquele dia... Fiquei tonto, enjoado, desnorteado, sem chão! Passado o pior desse susto, resolvi conversar muito com amigos, veterinários, donos de cães... Cheguei a consultar uma oncologista veterinária e em duas semanas ele já havia amputado a pata acometida pela doença...
Devido a diversos outros problemas que ele já tinha (hipotireoidismo, displasia coxo-femoral, artrose...), ele nunca se adaptou bem à amputação... Apesar disso, nossa casa, nossa rotina, nossos esforços se voltaram para permitir que a vida dele fosse a melhor possível ao nosso lado, independente do prognóstico sombrio dado por todos os veterinários consultados na ocasião...
Quase seis meses depois da operação, depois de muitas sessões de acupuntura, radiografias, exames de sangue, ultrassonografias, remédios e idas a veterinários, seus exames de sangue acusaram uma falha aparentemente irreversível da medula em produzir células sanguíneas... Nesse momento suas gengiva e língua ficaram tão claras que chegavam a ser mais brancas do que os dentes... Mesmo desacreditado, optei por uma transfusão sanguínea, feita poucos dias antes dele morrer... Nos dias seguintes, ouvi de vários veterinários que deveríamos considerar a possibilidade de eutanasiá-lo... Nesses dias ele já não se levantava mais, só comia deitado, quase não dormia...
Contudo, a ideia de sacrificar meu filho, muito embora martelasse a minha cabeça a cada 5 minutos, nunca foi aceita... Não me sentia no direito de decidir pelo fim de sua vida... Acho que, na verdade, eu não queria me privar de sua companhia nem que fosse por 5 minutos... Os últimos dias foram muito difíceis... Trabalhar era quase impossível.... Nem eu nem ele dormíamos...
Infelizmente, há uma semana ele cansou de lutar contra o câncer e levou com ele parte de mim... A julgar pela dor, essa parte mais parece física do que "apenas" um sentimento... Parece que me arrancaram um braço!!!



Mas eu não posso deixar de ser grato por todos os momentos muito felizes que ele me proporcionou... E agradeço demais a vários amigos, sem os quais eu jamais teria conseguido prolongar essa amizade até o máximo possível... Principalmente, à minha mãe, por depois de tantos anos permitir que eu realizasse o sonho de ter um cachorro... Hoje, ainda, a saudade é dilacerante... A única coisa que me conforta é saber que eu estive do lado dele até o último momento... Pois a última coisa que eu queria que ele voltasse a sentir nessa vida era solidão... A última coisa que eu deixaria ele sentir é que fora abandonado novamente...
Muito embora nunca tenha acreditado que cães tivessem espírito/alma, sonho com o dia em que o poderei ver de novo... Nem que seja por mais 15 longos segundos...


Iuri


Menino conta com a ajuda da internet para realizar últimos desejos de seu cão



Bingo tem nome de menino, mas é uma cadelinha-assistente que ficou famosa na internet. O bichinho é a companheira de Cole, um menino que tem uma doença ainda sem diagnóstico que, por vezes, faz com que ele simplesmente pare de respirar. Bingo foi treinada especificamente para ficar com Cole o tempo todo e buscar ajuda quando uma dessas crises acontece e, durante seus 14 anos de vida, já salvou a vida do menino várias vezes. Tanto que, na foto acima, ela foi premiada por uma marca de ração como cachorro-assistente do ano.

No entanto, pouco tempo atrás, Bingo foi diagnosticada com uma doença chamada Síndrome de Disfunção Cognitiva Canina e estima-se que ela vá viver apenas algumas semanas. No dia em que a cadelinha foi diagnosticada, a mãe de Cole o ouviu falando com o bichinho, prometendo que antes que ela se vá, eles fariam muitas coisas legais juntos.

A primeira era um passeio até o fliperama preferido de Cole. A segunda era uma sessão de fotos com os dois. A terceira era um passeio pelo quarteirão preferido de Bingo – duas voltas. E, na última, Cole prometeu que conseguiria para ela um petisco canino de cada canto do mundo.



Esse último pedido foi postado no Facebook – junto com a emocionante história de Cole e Bingo – e viralizou. A família do garoto recebeu em casa mais petiscos caninos do que poderia ter imaginado. Dá só uma olhada:


Curiosidade: além de mobilizar a internet com a história da cadelinha Bingo, a família de Cole criou a fundação Bingo Hein, que irá coletar doações para ajudar cães que vivem em abrigos.
Link Fundação Bingo Hein
https://www.millanfoundation.org/donate/bingo_hein_fund.php


Fonte: http://colunas.revistagalileu.globo.com/buzz/2012/09/17/bombou-na-web-menino-conta-com-a-ajuda-da-internet-para-realizar-ultimos-desejos-de-seu-cao/https://www.millanfoundation.org/donate/bingo_hein_fund.php

Oração para Primavera



Oração para Primavera


Louvado
Seja este tempo de flores ,
que todas as cores possam colorir
todas as vidas de todos os seres ,

Alegria
para que possamos renascer harmonicamente ,
com sáude e beleza,
Espalhando amor e paz
para todos os solos-corações germinarem
em sintonia com
o planeta terra-água-fogo-ar,

Louvado e honrado sejam todos os caminhos
que conduzam
ao paraíso celeste e terrestre ,

Que nesta primavera
Possamos florescer
alegres e afetuosos
com o coração liberto de pesos e ilusões ,
e assim restaurados pelas mãos do Grande Jardineiro do Universo.



" E a contínua espera
em que novamente floresça,
no frio dessa ausência sentida,
O amor... combustível da vida...."

sábado, 22 de setembro de 2012

Estrelinha Milu





Milu

Hoje (21/09) faz um mês que a minha gatinha Milu se foi. 
Nunca senti tanta dor e tanta saudade. Também posso dizer que nunca senti tanto amor. 
Aquele amor puro que só um animal pode dar. Totalmente despretensioso e incondicional. 
Milu me ensinou muito a respeito de mim mesma e me mostrou o melhor de mim. 
Ainda me sinto fraca, tenho a impressão de que não posso viver sem a companhia dela. 
Obrigada a vocês por disponibilizarem esse espaço para os enlutados, 
é vital para o processo de superação.


Nel Gonçalves


sexta-feira, 21 de setembro de 2012

Miúdo, sua história


História do Miúdo.

Há 10 anos atrás meu filho Cody estava no shopping em Albertson. 
Ele ouviu algum tipo de som vindo de um saco em um carrinho de compras, quando ele estava colocando suas compras no carro, não sendo capaz de controlar sua curiosidade, ele aproximou-se e olhou no saco. Havia uma sacola cheia de filhotes, apenas um estava vivo e três já mortos, então ele pegou o saco com os filhotes de cachorro e voltou para casa. 
Enquanto eu estava cuidando do cachorrinho vivo ele enterrou o resto deles. 
Fomos ao ao veterinário e ele disse que o filhote era de cerca de 3-4 semanas de idade e com cuidado ele iria sobreviver, ai eu perguntei ao veterinário que tipo de raça que ele é, e o veterinário disse, pitbull. OMG! não um pitbull não, essa é o pior raça de cão! 





Eu disse Cody meu filho, que ele poderia mantê-lo em casa até que ele estava bem o suficiente para encontrar outra família para ficar com ele, eu disse ao meu filho Cody que não queria porque todos os pitbulls são assassinos e eu tenho cavalos, cães, gatos, galinhas e porcos . 
Então Cody levou o cachorro para que ele pudesse ficar mais forte. 
Toda vez que você dizia a palavra  Miúdo, ele olhava para você, tão pequeno realmente chamado a si mesmo. 
As visitas não ficaram entusiasmadas de nos ter um pitbull em casa, e dizia, quando ele ficar grande , ele vai ficar bravo e vai matar todos os outros animais dessa casa. 
Quando ele cresceu assim se fez o seu coração e personalidade. 
Ele amava a todos e pedia para que você o amasse também de volta. Miúdo cresceu e ele não ia a lugar nenhum, ele continuou em casa e nos começamos a lhe ensinar truques e brincadeiras, não foi difícil para ele aprender, ele levava balde de jardinagem para mim. 
Então, nós o pegamos, certificado para ser um animal de serviço, ele é o mais inteligente cão que qualquer um de nós já viu. 
Quando meu marido teve um tumor no cérebro removido, Miúdo levou suas pílulas na cama e até mesmo o obrigou a levantar-se quando ele não queria, miúdo ajudou a se curar. 
Em maio passado, eu fui diagnosticada com câncer de cólon, quando eu estava no hospital, Cody dizia o tempo que eu estava internada, miúdo colocava a cabeça no meu travesseiro e ficava triste sentindo minha ausência. 
Quando levavam ele ao hospital para ver, ele tinha apenas olhar para mim, eu via a preocupação em seus olhos. Agora que eu estou em casa e não mais tenho que fazer a quimioterapia ele cuida de mim. 
Quando eu estou triste e não me sinto bem, ele faz coisas tolas para me fazer rir. 
Há três semanas atrás, começamos a notar que ele tem um pequena protuberância do tamanho de uma moeda de dez centavos em sua barriga e levamos no veterinário e ele disse que Miúdo tem um tumor de Células cancerosas. 
O veterinário disse que ele não pode ser operado, e por causa do quão rápido ele cresceu de que a radiação e quimioterapia não seria bom também. Ele esta tomando medicamentos alternativos, com tudo isso, miúdo não perdeu seu bom senso de espírito. Ele ainda faz todo mundo rir, e sua cauda não perdeu o ritmo, ele vai nos deixar e quando chegar a hora dele ir para a ponte nos vamos estar com ele ate o final de seus dias .



Tiny e mãe


Minha Paixão Pitbull

quinta-feira, 20 de setembro de 2012

Estrelinha Nina





Nina

Quanta saudadesss minha filha,amiga e companheira vc deixou um grande vazio aqui em casa...

Minha Nina nos deixou dia 12/09/2012 com 7 anos de idade...quando levei-a para castrar e teve duas paradas e na terceira seu coraçãozinho não resistiu .... deixei ela na clinica tão bem e alegre o que parecia tão simples se tornou para mim um pesadelo.....hoje eu e meu marido estamos sofrendo pela perda pois só tinhamos a Nina para alegrar nosso lar, sempre muito brincalhona, meiga,carinhosa,ela fazia nos sentirmos estraordinários...peço orações pois estamos precisando ...e que minha cachorrinha esteja bem onde estiver pois ela é maravilhosa....
Fique em Paz Nina!


Um Grande Abraço

Obrigada

Débora M.S.Mendes

São Caetano do Sul / SP