.ღ Saudade lembrada, saudade sentida, saudade hoje e para o resto da vida...saudade eterna! ღ

.ღ Saudade lembrada, saudade sentida, saudade hoje e para o resto da vida...saudade eterna! ღ

.

.

ღ NO MOMENTO AS HOMENAGENS ESTÂO SUSPENSAS! Abraços fraternos!

ღ NO MOMENTO AS HOMENAGENS ESTÂO SUSPENSAS!  Abraços fraternos!
As homenagens são publicadas conforme a disponibilidade de tempo. Se ela chegar sem foto e mensagem não poderei publicar. As homenagens são publicadas conforme a ordem de chegada no e-mail.

.

.

ღ NO MOMENTO AS HOMENAGENS ESTÂO SUSPENSAS! ABRAÇOS FRATERNOS!

quarta-feira, 3 de outubro de 2012

O Nascimento de São Francisco de Assis



ESPECIAL SÃO FRANCISCO DE ASSIS

O Nascimento de São Francisco de Assis

Dizem que, quando Jesus andava pelo mundo, um dia ele chegou na beira do mar e viu um sujeito muito forte pescando peixe. Jesus chegou perto dele e disse:

- Você é Pedro e de hoje em diante não vai pescar mais peixe, vai pescar almas comigo.

Pedro na mesma hora, concordou e acompanhou Jesus, pensando que iam fazem grandes farras pelo mundo.

Jesus nunca sentia fome. Pedro sim. E Pedro vivia sentindo fome. Também pudera, era um bruta homem e não havia comida que chegasse para ele. Então Pedro começou a dizer:

- Ai, Senhor, que eu tenho muita fome! Ai, que eu não aguento mais! Vamos pedir comida, mas que seja em casa de rico, porque gente pobre nem come e nem tem o que dar de comer aos outros!

Jesus fez que concordou, e Pedro foi pedir comida numa casa rica que havia perto dali. Deram nada, e ainda por cima xingaram. Jesus consolou Pedro, dizendo que mais adiante iam ter de comer e de beber. E foram, andaram que andaram, e chegaram na casa do pai de São Francisco de Assis.

Bateram palmas, pediram água. O pai de São Francisco de Assis disse:

- Olha, vocês desculpem eu receber vocês assim. Minha mulher está para dar à luz, a casa está desarrumada, não há meios da criança nascer, água que tinha no pote se acabou, mas eu pego o cântaro e vou no poço buscar água fresca e limpa. E foi.

A mulher do pai de São Francisco de Assis gemia que não tinha fundamento. Era aquele gemido doído de arrepiar. Pedro ficou incomodado e disse:

- Eu com fome, mulher gemendo, criança que não nasce, água que não vem, e o que vai ser de nós, meu Deus do céu?

- Fica quieto, Pedro-, respondeu Jesus – Que quando o galo cantar, a criança nasce, as comadres chegam e fazem comida.

A mulher ouviu a voz de Jesus e a criança remexeu-se no ventre dela. Ela pensou que aquele homem estava falando como profeta e ficou contente. E continuou a gemer. Pedro, sofrendo com o berreiro e a fome, o galo não cantava, água não chegava, a criança não nascia.

Disfarçando, Pedro saiu pro terreiro e foi cutucar o galo. Mas o galo não cantava. Então, Pedro se agachou num canto do galinheiro e cantou que nem galo e nada, nenhum respondia. Desanimado, ele entrou para dentro e disse:

- Olha, Jesus, eu vou simbora, galo não canta, mulher não para de berrar, água não chega, comida não existe e criança não nasce!

Jesus disse:

- Se você quiser que a criança nasça vai lá pra cama da mãe e tire um pouco de raspa da madeira, e faça um chá e dê pra ela.

Pedro fez e, quando deu o chá, a criança já nasceu, a água chegou, vieram as comadres e os galos cantaram:

- Nasceu Francisco de Assis!

Jesus chamou as pessoas de lado e disse:

- Olhem bem essa criança, que ela vai ser uma luz no mundo.


(XIDIEH, Oswaldo Elias. Narrativas populares)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Saudade lembrada, saudade sentida, saudade hoje e para o resto da vida...saudade eterna!

Nosso pedacinho do céu...