.ღ Saudade lembrada, saudade sentida, saudade hoje e para o resto da vida...saudade eterna! ღ

.ღ Saudade lembrada, saudade sentida, saudade hoje e para o resto da vida...saudade eterna! ღ

.

.

ღ NO MOMENTO AS HOMENAGENS ESTÂO SUSPENSAS! Abraços fraternos!

ღ NO MOMENTO AS HOMENAGENS ESTÂO SUSPENSAS!  Abraços fraternos!
As homenagens são publicadas conforme a disponibilidade de tempo. Se ela chegar sem foto e mensagem não poderei publicar. As homenagens são publicadas conforme a ordem de chegada no e-mail.

.

.

ღ NO MOMENTO AS HOMENAGENS ESTÂO SUSPENSAS! ABRAÇOS FRATERNOS!

terça-feira, 20 de julho de 2010

Feliz Dia do Amigo

Homenagem aos nossos Amigos de Pêlos

Os animais, mesmo os mais selvagens, as vezes tem atitudes muito mais louváveis que os prepotentes seres racionais.
 
Muita gente entra e sai em tua vida ao longo dos anos. Mas só os animais, verdadeiros amigos deixam impressões em seu coração. 

Obrigada Amigos verdadeiros em nossas vidas!!! 
Capelinha de São Francisco


2 comentários:

  1. Regina Stella Finocchio dos Anjos8 de agosto de 2010 13:30

    Já passava das cinco horas da tarde, hora mansa, suave, o sol se punha no horizonte. Sentei-me à soleira da porta que dá acesso ao imenso canil o qual tomo conta, e depois de dez horas de exaustivo trabalho, pus-me a pensar mais uma vez no “Porque os animais sofrem?”. Há muitos anos venho travando uma batalha incansável comigo mesma e o Criador sobre essa questão, até então sem resposta.

    Aninhei nos meus braços nesses longos anos, serezinhos de todos os tamanhos, cores e carinhas, desde a Marie uma vira-latinhas que cabia na palma da minha mão, até a Miúda uma rotweiller imensa. E todos eles sem exceção me traziam no olhar uma paz que para sempre vai ficar gravada na minha alma.
    Lembrei-me que pela manhã assim que chegara, fui direto aos aposentos separados para aqueles que estão doentes, ou com alguma suspeita grave. E mais uma vez aquela pergunta que não calava, martelando minha mente...”Porque os animais sofrem?”. Buscara durante tanto tempo essa resposta. Ouvia as mais variadas, algumas de alento, outras de resignação, outras vindo de céticos que afirmavam “isso não ter sentido algum”.
    Mas como pode o nosso Criador permitir o sofrimento naqueles seres já tão órfãos, tão solitários? Mas nesta manhã eu não imaginava que teria a resposta para tudo que senti por tantos anos a fio.

    Havia dois meses recebemos no abrigo uma cadela vira-latas, de porte médio, carinha doce e barrigão enorme, abandonada, aliás, como são quase todas nesse estado. Só que essa tinha além da humildade muito peculiar nesses seres, um ar de nobreza nos seus olhos. Olhar de sabedoria, de mansidão, de amor. Pois bem, passados alguns dias ela dera à luz a nove filhotinhos chorões e lindos. Os dias se passaram, uns quinze talvez, pois eles já estavam com os olhinhos abertos, quando começaram a demonstrar sinais de que estavam adoecendo. Mediquei-os como de costume, conversei com eles, pedi para que lutassem pela vida, mas fora em vão meu pedido. Eles começaram a morrer, um a um.
    Quando restavam apenas dois vivos, colocaram na porta do abrigo uma caixinha com quatro filhotes ainda sem dentinhos, portanto, necessitando de mamadeira. Só que eles não aceitaram a mamadeira, foi aí que resolvemos coloca-los na barriga da mãe que estava perdendo os filhotes. E foi lindo, ela os aninhou, os lambeu, os amamentou, deu-lhes todo o AMOR do mundo.
    Uma semana depois ela começou a apresentar sintomas de cinomose, uma doença fatal para os cães .E aí o que fazer? Nessas alturas do campeonato o contato entre eles já tinha sido grande, portanto deixamos que eles continuassem lá.
    Ela piorava dia a dia, e quando tentamos aliviá-la um pouco, retirando os filhotes adotivos dela, ela uivava, se arrastava como uma cobra e farejava procurando-os, pois já não enxergava mais. Devolvemos a ela seus bebês, mas em pouquíssimos dias eles adoeceram e cada dia morria um. Nós retirávamos dela e ela chorava. Quando se foi o último, ela se encolheu no fundo da caixinha de papelão que a abrigava e fechou os olhos para sempre.
    Foi aí então que algo incrível aconteceu, algo tocou meu coração...
    “Jamais esse sofrimento fora em vão”, porque simplesmente todo AMOR que ela e tantos outros emanavam e emanam, de algum modo toma forma no Universo e transformava-se em energia PURA. Acabara de descobrir ali, naquele momento que estivera diante de uma Provedora de puro AMOR e esse AMOR está agora percorrendo todo o Universo. Porque o AMOR tem vida própria, é algo abstrato, mas palpável e verdadeiro. O AMOR jamais se perde, jamais morre, ele é a verdadeira Fonte da Vida. E os animais por sua pureza e bondade são os maiores produtores desse doce sentimento.

    ResponderExcluir
  2. Regina Stella
    Simplismente lindo!
    Profundo, não sinto só o Amor no fato, seu relato é possuidor de um Amor que transborda
    seu peito!
    Parabens amiga não só pelo texto mais sim por ser possuidora e mestra do sentimento mais lindo e puro que um ser possa ter.
    Peço sua permissão para colocar seu texto como postagem. Nossos amigos precisam ler está linda declaração de Amor.
    Obrigada por dividir conosco.
    Que Deus continue te abençoando.
    Que São francisco sempre esteja ao seu lado!
    Beijos de Carinho
    Rejane Montresor

    ResponderExcluir

Saudade lembrada, saudade sentida, saudade hoje e para o resto da vida...saudade eterna!

Nosso pedacinho do céu...